Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Dengue causa duas mortes em Lucas do Rio Verde

Foto: Rayan Nicacio

Ao menos duas mortes com resultado positivo para dengue foram registradas em Lucas do Rio Verde (MT), desde o início do ano de 2022.

A informação foi confirmada pela supervisora da Vigilância em Saúde, enfermeira Claudia Regina Engelmann, durante entrevista a Radio Alternativa FM, na manhã desta terça-feira, 21 de junho.

Os óbitos são referentes a duas pacientes, que tiveram quadro clínico agravado após serem contaminadas pelo vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

O primeiro óbito ocorreu em janeiro, quando uma gestante que já apresentava complicações de saúde, faleceu com resultado positivo para dengue.

O segundo óbito aconteceu em abril, quando uma idosa também apresentou resultado positivo para a doença.

De acordo com Engelmann, as coletas de exames foram encaminhadas para o Laboratório Central, o Lacen, em Cuiabá, onde foram feitos novos exames, confirmando os resultados.

“Tivemos diversas internações nesses primeiros seis meses do ano e tivemos dois óbitos. Não temos uma vacina disponível pelo SUS eficaz contra a dengue, e sendo assim, precisamos da conscientização da população para combatermos o mosquito, pois neste ano os registros são muitos”.

“Nesses primeiros seis meses do ano tivemos 2.980 notificações de casos suspeitos de dengue, porém, nas últimas três semanas estamos observando a diminuição nessas notificações. Isso se deve ao fato de as chuvas terem diminuído”, comentou a enfermeira.

Na última semana (entre os dias 12 a 18) foram apenas 13 notificações de casos suspeitos.

Porém, os números de casos confirmados chegam a 2.500, desde o inicio do ano. O número é o maior dos últimos três anos, uma vez que, durante o ano todo, em 2019 foram registrados 516 casos notificados; em 2020 foram 1.736 casos notificados de janeiro a dezembro; e no ano de 2021 o número é de 344 casos notificados.

Os bairros que apresentaram os maiores casos de notificados de dengue foram: Bandeirantes, Rio Verde, Jardim Primavera, Tessele Júnior e Parque das Américas.

Mesmo estando no período de estiagem, o cenário continua de atenção por parte dos moradores, reforça Claudia Engelmann.

“O cuidado inicia dentro de casa, por todos nós, se atentar nos possíveis focos, e precisamos da colaboração da população na vistoria dos seus domicílios, terrenos, em tudo que possa acumular água, como calhas, pneus, vasos de plantas, lonas. São locais em que o mosquito se prolifera e carrega o vírus da dengue, e a maioria dos focos encontrados é nos domicílios. Também orientamos para procurar ajuda quando tiver sintomas”, pontua.

Denúncias sobre possíveis focos de dengue podem ser feitas pelo número (65) 3548-2508.

Medidas preventivas – O trabalho de rotina dos agentes é visitar domicílios, eliminar focos e remover reservatórios, com a ajuda do morador. Em casos notificados e confirmados de dengue, os agentes ainda realizam o bloqueio de transmissão com a bomba costal motorizada.

Principais criadouros – O lixo doméstico ainda é um dos principais focos do Aedes nas residências. Em seguida, depósitos móveis (vasos, frascos, pratos, pingadeiras e bebedouros); depois vem pneus e outros materiais rodantes, depósitos como barril, tanque e poços, entre outros.

Dicas de prevenção – Para reduzir a incidência da doença, a população deve ser consciente e contribuir eliminando água parada, tampando tambores, poços, cisternas e reservatórios de água e colocando areia fina na borda dos recipientes com plantas e bebedouros de animais de estimação. Também é preciso se atentar para os suspiros das fossas para que não fiquem abertos, tampando com tela ou uma meia velha.

Sintomas das doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti:

 

Dengue – febre alta, dor de cabeça, dor muscular, dor ao movimentar os olhos e manchas vermelhas pelo corpo.

 

Chikungunya – febre alta, dores no corpo, dores intensas e inflamações nas articulações.

 

Zika – vermelhidão e coceira em todo o corpo, febre baixa, olhos vermelhos sem secreção, dores nas articulações.

21/06/2022 | Alternativa FM


Mais Noticias

18/08/2022 | Lucas do Rio Verde

Prefeitura de Lucas do Rio Verde avança na pavimentação da Linha 13

Equipes atuam na preparação de solo e aplicação das camadas de base

18/08/2022 | Lucas do Rio Verde

Gestão Municipal inicia a 12ª edição do Campeonato de Futebol Amador

São 32 equipes e mais de 800 atletas na competição

17/08/2022 | Lucas do Rio Verde

Proposta de inovação é apresentada ao prefeito Miguel Vaz e equipe de secretários durante reunião

Metodologia de Paulo Rizzardi será desenvolvida aos integrantes da AIC

17/08/2022 | Lucas do Rio Verde

Cras promove Balcão de Empregos em parceria com o Sine em Lucas do Rio Verde

Assistidos do Cras poderão ter acesso às oportunidades de vagas das 7h30 às 11h

VEJA MAIS