Vereadores aprovam lei que regulamenta o estacionamento de caminhões

O local deverá ser implantado a dez quilômetros de distância da área urbana. Serão ofertadas no mínimo 200 vagas
Ascom Câmara/Tarsila Borges

Os vereadores aprovaram na noite da segunda-feira (10), em sessão ordinária, o Projeto de Lei n. 47/19, que trata da regulamentação da área para a construção do estacionamento de caminhões.

A proposta é do Poder Executivo e visa estabelecer as regras para a construção do local que irá abrigar os caminhões e oferecer toda a infraestrutura necessária aos motoristas.

Segundo o presidente da Câmara, vereador Dirceu Cosma (PV), a ideia de construir um estacionamento para caminhões surgiu na gestão passada, porém, não foi viabilizada por conta do alto valor de investimento.

"É um sonho, uma luta que vem se arrastando por mais de seis anos e que agora, parece que vai sair do papel, porque tem um empresário interessado em investir."

O estacionamento deverá ser construído em uma área localizada a dez quilômetros de distância do perímetro urbano. Serão ofertadas no mínimo 200 vagas de estacionamento, com guarita e toda a segurança.

O local também deverá oferecer área exclusiva para caminhões que precisam de energia elétrica para conservação de cargas perecíveis, sanitários, lanchonete, restaurante, lavanderia e espaço para a limpeza das cabines.

De acordo com o vereador Marcos Paulista (PTB), a construção do local irá resolver um problema recorrente no município, que são os caminhões que transitam e permanecem estacionados nas ruas e avenidas dos bairros.  

"Não é somente uma reivindicação da categoria, toda a população cobra a construção de um local adequado. O estacionamento vai melhorar o trânsito e ainda reduzir o número de acidentes."

A obra deverá ser concluída em no máximo cinco anos, a partir do início da construção, respeitando o percentual mínimo de 20% ao ano, sob pena de revogação do credenciamento.

Os valores a serem cobrados pelos serviços disponibilizados aos usuários do estacionamento, deverão ser implantados na modalidade tarifa, mediante regulamentação própria pelo Poder Executivo.

12/06/2019 | Ascom Câmara/Marcello Paulino