Polícia apura ligação de 4 assassinatos e fuga de 27 presos de penitenciária em MT

Segundo a Polícia Civil, todos os bairros onde ocorreram os homicídios estão na periferia de Rondonópolis e os crimes podem ter ligação com a fuga.
DHPP Rondonópolis

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Rondonópols, apura a ligação dos quatro assassinatos e seis tentativas de homicídio ocorridos na madrugada de segunda-feira (13) com a fuga em massa de 27 presos da Penitenciária Major Eldo Sá Corrêa, a Mata Grande. Segundo a Polícia Civil, todos os bairros onde ocorreram os homicídios estão na periferia de Rondonópolis e os crimes podem ter ligação com a fuga, ocorrida na sexta-feira (10).

Os quatro homicídios e as seis tentativas foram todas cometidas por duas pessoas armadas em uma motocicleta vermelha, que usavam uma pistola ponto 40.

Foram mortos Cristiano Vinicius de Souza, de 18 anos (bairro Parque São Jorge); Marcelo Henrique Feitosa da Silva, de 18 anos (bairro Vila Mineira), um adolescente de 16 anos (bairro Residencial Edelmira Querumbim) e outro adolescente, de 14 anos (bairro Residencial Padre Lothar).

A DHPP diz que tenta esclarecer a autoria dos quatro assassinatos e das seis tentativas de homicídio. De acordo com a DHPP, duas das seis tentativas ocorreram no Residencial Padre Lothar, onde dois adolescentes de 14 anos foram atingidos por disparos enquanto estavam na rua. As vítimas foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e um dos garotos foi a óbito no Hospital Regional de Rondonópolis.

Das dez vítimas, apenas uma tem antecedente criminal. Trata-se de um homem de 28 anos, que estava acompanhado do filho de 2 anos. A vítima contou que estava chegando em casa em seu veículo, quando foi abordada por dois homens em uma motocicleta vermelha. A dupla fez quatro disparos que atingiram a perna do morador e também a perna do filho dele.

Fuga

Dez dos 27 presos que fugiram da Penitenciária Mata Grande foram recapturados, segundo último levantamento divulgado pela Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh-MT). Os presos fugiram após a explosão em parte do muro lateral direito, provocada por criminosos.

Antes eles serraram a grade de uma das celas do raio 3 e o alambrado que divide o local perto do muro. A explosão foi causada por artefatos presos em uma bicicleta, que foi encostada na muralha e acionada a distância.

Momentos antes da explosão, agentes penitenciários que ficam nas torres de vigilância avistaram duas pessoas se escondendo na mata ao lado da penitenciária e logo em seguida o estrondo, seguido de tiros contra a muralha e os agentes.

14/11/2017 | G1 MT