Novo governador diz que MT precisa passar por "recuperação judicial" para não ir à falência

Mauro Mendes (DEM) diz que assume o estado com dívidas para servidores, poderes, e 100% dos fornecedores.
Governo de MT/ Assessoria

O novo governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), que foi empossado no cargo nessa terça-feira (1º), afirmou que o estado deve passar por uma situação semelhante à recuperação judicial.

Na iniciativa privada, a recuperação judicial de uma empresa é um meio utilizado para evitar a falência dela, ou seja, ao invés de pedir falência pede-se a recuperação, que como o próprio nome já diz é uma tentativa de recuperar aquela atividade evitando o fechamento e as consequentes demissões e não pagamento dos credores.

“O estado precisa hoje de algo semelhante a uma recuperação judicial. Mato Grosso tem que entrar em um plano de recuperação fiscal, o que seria analogamente na iniciativa privada a uma recuperação judicial”, afirmou.

Segundo ele, não há prazo para que Mato Grosso saia da crise econômica em que está.

“Esse plano nós vamos detalhar internamente junto aos secretários, com a participação do vice-governador Otaviano Pivetta, mas não dá para estabelecer prazo. Não é uma tarefa simples, porque nós vamos depender de várias ações, como a redução da despesa, quanto a elevação da arrecadação”, disse Mauro Mendes.

Como forma de retomar a economia de Mato Grosso, o novo governador diz que é necessário equilibrar a receita e a despesa do estado.

“Prioridade no momento é equilibrar receita e despesa e, depois, fazer sobrar dinheiro para os investimentos. O principal pilar nesse momento é fazer o equilíbrio fiscal. Mato Grosso deve hoje para praticamente 100% dos seus fornecedores, deve aos poderes, deve aos municípios, deve na saúde uma quantidade muito grande”, destacou.

Mauro falou ainda que uma das metas mais difíceis deve ser trazer qualidade para a saúde pública, além de a retomada de obras que foram paralisadas nos últimos governos.

“Queremos fazer a saúde funcionar e retomar as quase 500 obras que estão paralisadas. Criar um grande programa de desenvolvimento econômico. Fazer um planejamento de curto, médio e longo prazo para que a economia de Mato Grosso também cresça e, assim, aumente também a arrecadação”.

Para ele, é necessário que o cenário econômico seja atrativo tanto para o empresário que já está no estado, quanto para aqueles que pretendem investir em Mato Grosso.

“Vamos criar um grande programa de desburocratização, simplificação tributária, criar um ambiente de negócios que seja realmente mais atrativo para quem está hoje no estado e possa ser convidativo para quem queira vir para Mato Grosso”.

Cortes

O governador Mauro Mendes reafirmou que pretende exonerar cerca de 3 mil servidores estaduais.

“Somando cargos comissionados, contratados e funções gratificadas, são mais de 3 mil servidores exonerados logo no início da administração”, disse.

Sobre o assunto, o governador também revogou um decreto de 2015 que permitia que os servidores estaduais trabalhassem em jornada reduzida.

A partir desta quarta-feira (2), todos retornam à jornada diária de 8h, entre as 8h e as 18h.

“O equilíbrio fiscal é uma meta importante nesse governo. Se você não equilibra receita e despesa, a quantidade de problemas que você vai gerando e acumulando é muito grande. Se você não tem dinheiro para pagar o servidor, gera insatisfação”, afirmou.

02/01/2019 | G1 MT